28 de Fevereiro, 2024

Fortaleza garante piso salarial estabelecido pelo MEC aos professores municipais; 83 cidades cearenses seguem o reajuste

Descripción de la imagen

Aguardando imagem patrocinada

Depois de reivindicar pelo novo piso salarial, os professores municipais de Fortaleza conseguiram garantir o pagamento estabelecido pelo Ministério da Educação. A informação foi confirmada pelo prefeito José Sarto (PDT) nesta terça-feira (31). O gestor se reuniu com representantes da categoria. Os professores da rede municipal paralisaram as atividades, desde a semana passada, em protesto pela garantia do pagamento do salário-base.O prefeito de Fortaleza, José Sarto, disse que a capital possui uma “rede de quase 241 mil alunos e pais que precisam desse acolhimento da educação aqui em Fortaleza”.“Nós garantimos aos representantes da categoria que nenhum professor de nível médio, do município de Fortaleza, receberá menos que o piso estabelecido pelo Ministério da Educação”, disse Sarto.Piso SalarialEm todo Ceará, somando com a Capital, o número de municípios cearenses que concederam reajuste salarial para os professores em 2023 chegou a 83. As informações são do quarto levantamento da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce). A maioria das gestões municipais cearenses tem acolhido o clamor de educadores, de sindicatos e da Federação, que defendem um crescimento salarial igual ou superior a 14,95%, conforme determina a Lei Federal do Piso Nacional do Magistério (Nº 11.738/2008). Desta lista, apenas em Eusébio o índice ficou um pouco abaixo, fixado em 14,81%.Já nas cidades de Quixadá e Maracanaú a reclamação fica por conta do parcelamento da aplicação do benefício, levando os profissionais a não gozarem plenamente do aumento ao longo dos meses. O Sindicato dos Servidores de Quixadá e Região (Sindsep) e o Sindicato dos Profissionais em Educação de Maracanaú (Suprema), que representam as categorias nas localidades, tentam garantir, via negociação, a aplicação imediata do percentual total.Para Enedina Soares, presidenta Fetamce, o grande número de cidades com reajuste anunciado é resultado da organização do movimento no Ceará.“A mobilização, organização e capacidade de luta dos professores e professoras dos municípios Ceará tem sido determinante para que autoridades de várias cidades do estado atendam a reivindicação pelo imediato reajuste salarial do magistério em 2023”, diz a dirigente.Maiores percentuais

Em 39 municípios foram aplicados percentuais acima dos 14,95%, previstos nos mecanismos de cálculo de reposição da categoria. Destaque para Paraipaba, que emplacou 16% de reposição, o maior registrado até o momento no Ceará.

Ceará Agora