22 de Fevereiro, 2024

Natalia Castan, a mulher que coordena uma das maiores redes de call center do país

Sobre o Dia Internacional da Mulher: "Acho fantástico esse movimento, é um dia de muita reflexão, de entendimento de todos os ganhos, do que as mulheres conquistaram e, ao mesmo tempo, dos caminhos que ainda precisamos percorrer"

Descripción de la imagen

Aguardando imagem patrocinada

  • Matéria do estagiário Victor Campos

Uma alternativa para conquistar a emancipação financeira que as mulheres almejam é o empreendedorismo. De acordo com o Sebrae, no Brasil, há atualmente 9,3 milhões de mulheres à frente de um negócio, sendo que 45% delas são chefes de família. Neste contexto, se destaca Natalia Castan, CEO do Grupo Unite, uma das maiores redes de call center do país.  

Natalia começou a empreender nos anos 2000, com apenas 18 anos, e enfrentou diversas dificuldades, por ser uma jovem empreendedora e mulher, dentre elas, o acesso a capital financeiro e a confiabilidade das empresas.  

A empresária disse que nunca conseguiu um centavo que não fosse oriundo de seu trabalho. “Se eu tivesse tido acesso a recursos e a um capital de fora, teria certamente tido muito mais facilidade para desenvolver tudo o que desenvolvi, e encurtado o tempo”, avalia Natalia.

A CEO explica também que conquistou o sucesso através de muito esforço. “Trabalho árduo diariamente, uma confiança interna muito grande de que tudo ia acontecer e dar certo, e que tudo dependia do meu esforço, da minha persistência, para conseguir de fato realizar meu sonho de desenvolver um negócio de impacto que pudesse realmente fazer a diferença na vida das pessoas”.

Para Natalia, a educação teve papel fundamental no desenvolvimento do seu negócio, para a própria formação, e é este quesito que faz aumentar as chances do negócio ter sucesso. “As empreendedoras precisam entender que empreender é algo muito difícil e que precisa ser uma decisão consciente, empreender é algo muito suado e depende muito do empreendedor e quase nada de questões externas. Além do desenvolvimento do profissional”, pontifica.

Ela acredita que o Dia Internacional da Mulher tem grande importância para o público feminino, principalmente para mulheres empreendedoras. “Acho fantástico esse movimento, é um dia de muita reflexão, de entendimento de todos os ganhos, do que as mulheres conquistaram e, ao mesmo tempo, dos caminhos que ainda precisamos percorrer, novas frentes se abrem, as empresas acabam tendo uma maior consciência, esses movimentos me despertam isso, uma expansão na consciência de todo mundo, pelo olhar de empreendedora, mas também pelo olhar social”.