23 de Fevereiro, 2024

24 de Abril Dia do Churrasco : Como torná-lo mais saudável? 

0

Foto: Reprodução

Descripción de la imagen

Aguardando imagem patrocinada

Neste 24 de abril é comemorado o Dia do Churrasco. Considerado uma paixão nacional, está sempre no cardápio de comemorações entre amigos e familiares brasileiros. Dizem que a tradição se iniciou pelo sul do país através dos jesuítas com o hábito de usar uma fogueira para assar carnes, assim se popularizou e conquistou o Brasil.

Fazer um bom churrasco exige certa  habilidade, desde acender o braseiro até saber o melhor ponto da carne, mas como é possível torná-lo mais saudável, sem prejuízos para saúde? 

“O maior cuidado é que, ao se expor a carne a altas temperaturas no braseiro, há o risco de agregar compostos nocivos ao organismo: as aminas heterocíclicas e os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, que estão associados ao surgimento de tumores, por exemplo. Mas não é preciso abrir mão do churrasquinho. Só ter atenção em todas as etapas do preparo”, explica o médico nutrólogo e presidente da ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia. Durval Ribas Filho.

Confira abaixo dicas que o especialista separou sobre o assunto::

  • Escolha bem os cortes – A picanha, certamente, é uma das unanimidades, mas é rica em gorduras. Por isso, seu consumo deve ser moderado. A sugestão é intercalar com porções de patinho, maminha e filé mignon e cortes suínos, mais magros.
  • Aves  – As partes com pele, como coxas e asas, são mais calóricas. O famoso coraçãozinho também entra nesta listinha, mas se for limpo antes, pode perder algumas gordurinhas. Prefira o peito de frango ou peru, mas atenção para não ressecarem, pois são carnes com pouco teor de gordura.
  • Peixes – Uma boa opção para variar o cardápio são o salmão, atum, truta e sardinha.  
  • Embutidos – Assim como outras carnes processadas, são fonte de nitrito, aditivo químico que, em excesso, pode estar ligado ao desenvolvimento de tumores. Sempre agregam gordura para manter sua textura das linguiças e salsichas, por exemplo. É preciso ter muita atenção às porções consumidas.  
  • Deixe de lado a gordura – Mesmo sendo a preferida de muitas pessoas, por dar aquela suculência na carne, é bom reduzir o consumo das gorduras, pois o excesso está associado ao ganho de peso e doenças cardiovasculares. No preparo do churrasco, sempre que a gordura derrete e pinga na brasa, aumentam as labaredas e a liberação dos  hidrocarbonetos policíclicos, que são prejudiciais à saúde. 
  • Legumes – Abobrinha, pimentões, milho, cogumelos, tomate e berinjela são exemplos de alimentos que têm ótimo resultado na grelha. Tenha esta  opção, não só para os vegetarianos aproveitarem o churrasco, mas para equilibrar o consumo com as carnes. 
  • Capriche nos acompanhamentos – Além do famoso pão de alho e a  farofa, ricos em carboidratos, inclua no cardápio salada de folhas verdes, fonte de fibras, e frutas, como o abacaxi. Em contato com o calor da churrasqueira aumenta a disponibilidade da bromelina da fruta, substância que auxilia na liberação de enzimas benéficas para digestão de proteínas como as carnes. Evite molhos açucarados e prefira os caseiros à base de ervas.
  • Antes de Assar – Deixar a carne numa marinada com ervas aromáticas, vinho, cerveja, vinagre, limão, cebola ou alho pode contribuir para que se reduza o aparecimento das temidas aminas heterocíclicas.  Outro benefício é que as carnes ficam mais macias e se diminui o tempo na brasa. Mais um truque é cobrir, com papel-alumínio ou celofane, peças grandes como o cupim e a costela. Este procedimento também ajuda no cozimento sobre a grelha e reduz o contato com a fumaça.
  • Grelha sempre limpa – A gordura derretida e os restos de carne torrada podem ficar depositados nas grelhas e devem ser eliminados antes de um novo uso da churrasqueira. Higiene é essencial para garantir a segurança a cada novo churrasco. 
  • Tempo na churrasqueira – Quanto mais a carne fica exposta às altas temperaturas, com partes queimadas, maior o risco da formação dos compostos nocivos para o organismo. Hoje há pesquisas que associam este consumo com alguns tipos de câncer. Já com as carnes mal passadas ou quase cruas, o risco é de certas bactérias que podem causar infecções intestinais.  O ideal é a carne ao ponto e assada com a grelha afastada do carvão. Outra estratégia é optar por cortes em bifes, que assam mais rápido e têm menor exposição ao fogo.
  • Menos fumaça – Na sua eliminação do carvão, a fumaça pode conter hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, substâncias com potencial carcinogênico. A dica é manter a grelha afastada do carvão, para ter o menor contato do fogo e da fumaça, com o alimento. Virar sempre a carne para que o calor seja distribuído de maneira uniforme também ajuda a selar a carne, para que ela não resseque e nem fique torrada. 

Preparar um churrasco saudável e saboroso é possível. Moderação no consumo, acompanhamentos mais leves com frutas, legumes e verduras, não exagerar nas bebidas alcoólicas e manter uma boa hidratação irá garantir a confraternização e bem-estar de todos os convidados. 

Prof. Dr. Durval Ribas Filho, médico nutrólogo e presidente da ABRAN- Associação Brasileira de Nutrologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *