29 de Fevereiro, 2024

Aprovação definitiva do Complexo Solar de Jaguaruana por órgãos oficiais é daqui a um mês 

José Melo Mota; Lincoln Davi; Elias Oliveira

Descripción de la imagen

Aguardando imagem patrocinada

Uma conotação analítica foi a abordagem que a Kroma Energia em conjunto do grupo gestor e a supervisão da Superitendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) realizou ontem pela manhã na Câmara Municipal de Jaguaruana, uma Audiência Pública com objetivo de apresentar as diretrizes de planejamento e estudos da área onde será instalada a usina de energia solar de Jaguaruana, denominada Arapuá, localizada na fazenda homônima, no Distrito de Borges.

De acordo com o gestor ambiental da Semace, Lincoln Davi, os técnicos do órgão analisarão os estudos exibidos durante a sessão na casa legislativa e cada um elaborará um parecer que será compilado. “E se tiver nesta audiência algo que não ficou completamente esclarecido, vão ser solicitados mais esclarecimentos. E quando a empresa fizer todos esses esclarecimentos, não houver dúvidas, o parecer é emitido ao Coema que é Conselho Estadual do Meio Ambiente, e quando aprovado a Semace emite a licença ambiental”, enfatiza o gestor da Semace. Segundo Lincoln, geralmente após a Audiência Pública as tramitações no Conselho duram cerca de um mês.

O evento em si contou com uma ampla participação popular, além de técnicos do Sine – IDT e do Sebrae que atuam na região do Vale do Jaguaribe, além de diretores do IFCE de Jaguaruana, que se prontificaram em fornecer algum tipo de apoio logístico inserido no raio de atuação.

O prefeito de Jaguaruana, Elias Oliveira, destacou que a empresa é bem – vinda a cidade, e que fortalecerá a economia do município, gerando emprego nos setores de serviço e hotelaria. “Um projeto grandioso que precisa de grandes análises, e que a gente possa se adequar a esse projeto”, ressaltou o chefe do executivo municipal.

Já o presidente da Câmara Municipal de Jaguaruana, o vereador José Melo Mota, agradeceu a empresa pela iniciativa, e que o município terá a ganhar no fomento de trabalho e exaltou a alta incidência solar provocada em Jaguaruana como uma vantagem para a cidade. “Peço agilidade ao pessoal da Semace para a garantia do empreendimento, precisamos desta instalação”, explanou o parlamentar.

Conforme o Gerente de Geração da Kroma Energia, Filipe Souza, a usina processará uma grande quantidade de energia renovável, e por assim ela não é absorvida pelo município, nem pelo estado, mas comercializada pela rede industrial e empresas.  “Esse empreendimento é conectado na malha de transmissão, e a partir de então nas subestações de energias, e depois esses elétrons vão ser gerados, transmitidos para vários locais do Brasil”, explica Filipe.