20 de Junho, 2024

Por iniciativa da galeria Galatea, obras de Chico da Silva se consagram

Chico da Silva - Bichos na árvore da prosperidade,1966 | Foto: Ding Musa

Descripción de la imagen

Aguardando imagem patrocinada

Aguardando imagem patrocinada

O artista plástico Chico da Silva nasceu no Acre, referências biográficas apontam para 1910. E a partir de então a trajetória do pintor se dividiu em viagens nas regiões Norte e Nordeste do país. Até que aos dez anos de idade ele se estabeleceu definitivamente na capital cearense, no Pirambu, periferia localizada no litoral de Fortaleza.

Em 1940, Chico começou a desenhar com carvão desenhos exóticos nos casebres da praia. Essa atividade pictórica chamou a atenção de um suíço, Pierre Chabloz, movimentador e ativista do circuito artístico mundial, que se encontrava em Fortaleza. Chabloz além de cortejar o trabalho do artista, o incentiva a pintar com tinta guache em painéis. Na transfiguração das telas, uma miscelânea retratada das imagens captadas no subconsciente de seres da Amazônia com simbologias do litoral cearense.

Obra de Chico da Silva

Chabloz se entusiasmou com o resultado e iniciou uma peregrinação das obras de Chico da Silva na Europa, até que em 1966, o trabalho artístico de Chico foi incluído na delegação que representou o Brasil na 33ª Bienal de Veneza, onde recebeu Menção Honrosa. E nos dias atuais, a gestão da galeria paulista Galatea formatará um projeto de catalogação e os quadros do pintor serão representados formalmente numa galeria. Também está prevista turnê internacional, onde poderá estabelecer um stand solo do artista, na Frieze Masters, em Londres, de nove a 13 de outubro deste ano. A instituição também irá organizar outras ações alusivas ao artista em 2025, já que marca 40 anos da morte do pintor. 

Em 2022, a galeria fez uma apresentação solo do artista na feira Independent 20th Century, em Nova York, além de incluir trabalhos de Chico em circuitos próprios e feiras nacionais. A galeria contribuiu para a exposição “Chico da Silva e o Ateliê do Pirambu”, realizada em 2023 na Pinacoteca de São Paulo, e posteriormente promoveu uma mostra  na Pinacoteca de Fortaleza intitulada “Chico da Silva e a Escola do Pirambu”. Além disso, a Galatea viabilizou a incorporação de obras de Chico da Silva ao acervo da Pinacoteca de São Paulo e do ‘Centre Pompidou’, em Paris. 

Durante o período áureo da vivência de Chico nas artes plásticas, a solicitação de quadros se tornou uma crescente demanda, e por volta de 1963, ele teve que instruir pupilos para atender os pedidos. Dessa configuração surgiu a Escolinha do Pirambu incorporando também processos criativos dos alunos. Colaboraram Babá (Sebastião Lima da Silva), Chica da Silva (Francisca Silva) – sua filha -, Claudionor (José Claudionor Nogueira), Ivan (Ivan José de Assis) e Garcia (José dos Santos Gomes), único integrante ainda vivo.

Tela de Garcia, em exposição na capital cearense, no Centro Cultural Belchior, na praia de Iracema

Aguardando imagem patrocinada